Entries by Abel Matos

A Criminalidade Magna – Ou A Absolvição dos Matadores

Num ponto superior de formação comecei a ter meus internos cuidados. E eles tinham que ser bem maiores, mais periculosos por assim dizer, do que todos os dos meus parceiros de prisão. Ou seja, lidar também com eles presos em enorme precaução. Por estarem só trancados naquela caverna sem ver a luz, poderiam envolver-me num […]

A Barganha, Num Corpo Periculoso

Bandido virei polícia. Conto agora miúdo como foi. Nas hastes da vida fui me misturando criminoso ao crime, a carceragem cada vez mais comigo; tudo em nós e por nós se amarrando, até em nós se contar só irmãos. De fora perceberam que aos sustos e rebeliões bandidas eu nunca estava, ou seja sempre a […]

Tornar Público

Faço crônicas. Um passo maduro que dei, já com alguma coisa em avanço, foi quando li uns textos menores do Pamuk. Antes aconteciam já as crônicas, pois que a mão e a cabeça conseguiam pequenas histórias. Só com o passar e um amadurecer nunca acabado as frases e parágrafos foram melhor saindo. Também que por […]

Ninguém Nos Escuta!

Violentam o sexo e atazanam as meninas de corpo inteiro, o Ministério Público vai apurar, leio tal ponta de Inferno no jornal. Ainda eu carteiro décadas atrás, vozes correntes dos meus amigos de cartas e entregas, nos diziam que nas casas de correção de mulheres menores, as mesmas do jornal acima na Ilha do Governador,* […]

Sexo Na Grade

Guardas se provavam inúteis e perigosos, não serviam à função de encarcerar. Percebíamos que admitidos e chegados ainda crus das escolas de formação, lhes punham logo nos miolos das cadeias a mexer com presos, cadeados, grades e amontoados que somos nós; tudo isso como uma prova de chegada. Até aos mínimos sinais de roupas, sapatos […]

No Plano da Lei – Ou Aonde Tem Dinheiro Tem Mercadoria

Em uma época tínhamos modernos fuzis e farta munição; mais umas pistolas artesanais perfeitas de madeira para completar-nos em caso de ação. Meus amigos ficavam envolvidos em trazer para dentro o maior número possível; aquilo possuía um fim que todos nós sabíamos. Medroso e precavido eu não me metia, ficava ao longe de tudo, às […]

Colégio e Curso – Alta Pedagogia

Chegou a felicidade dentro da prisão. Notícia vindo de fora, comunicava que quem desejasse ser garçom se pronunciasse na boca da cela, e desse o nome na lista que passariam logo depois. As vagas eram limitadas, não havia tempo a perder. Houve quem garantisse até emprego certo no futuro para os diplomados. Que nós se […]

Indústria Fabril

A população cria violência contra si mesma. Está corrente que prisão é uma fábrica do mal. Fábrica do mal fomentada pelo próprio Estado com grandes interesses e lucros no agora e no depois. Explico. Ao jogar e manter todo e qualquer preso em péssimas ou as mais piores condições possíveis, incita-se e fermenta-se reações. Então […]

Marujaria

Toda nossa epopeia prisional de entrar e sair, ir e voltar como Ulisses, necessita de nós mesmos alguma decifração. A começar que tudo foi memorizado sem quase data de calendário e sem planejamento de onde ir. Nosso fim era só o de chegarmos de onde partimos, nós mesmos. Cada prisioneiro no turbilhão das ondas em […]

Cortiço Carioca ou Cabeça-de-Porco

Minhas origens e entradas no crime vieram dos outros eu ainda menino. Dois momentos. Homens fortes acobertados por um polícia que só fingia, empurravam e jogavam ao chão sem parar um outro homem morro abaixo, rumo à cadeia. Polícias entraram correndo num quintal de roça e chutavam aos berros as costas de um negão agachado […]